Acreditamos que pessoas mudam o mundo. Receba nosso melhor conteúdo com exclusividade

Você sabe escutar? Melhore as suas relações com a escuta ativa

Comunicação

Fala e ainda assim acredita que não é compreendido? Colocar o outro no centro da nossa atenção durante uma conversa pode facilitar com que haja mais compreensão nas nossas relações interpessoais. Aprenda como fazê-lo por meio da escuta ativa.

Relacionamentos interpessoais são, sempre, um desafio.

Desejamos ser plenamente compreendidos tanto no nosso silêncio, quanto ao nos expressarmos verbalmente. Mas muitas vezes não somos, ou pelo menos, não nos sentimos compreendidos.

Nossas entrelinhas são difíceis de ler, e é egoísta da nossa parte querer que o outro adivinhe o que desejamos e como estamos nos sentindo. A melhor alternativa é ser o mais mais transparente o possível.

Mas, e quando a gente fala de forma clara e objetiva e, ainda assim, não nos sentimos escutados?

Isso pode ocorrer porque quem escuta não escuta, apenas ouve.

Ouvimos para responder rápido e seguir com a nossa rotina, ou para apenas colocar o nosso ponto de vista baseado em respostas premeditadas.

Para evitar esse tipo de desencontro, podemos praticar a escuta ativa. O tipo de escuta que coloca quem fala no centro da nossa atenção e que pode contribuir para compreendermos o outro e nos sentirmos mais compreendidos nas nossas relações interpessoais.

Por que ouvimos e não escutamos?

A nossa mente está sempre em movimento, saltando de um pensamento para o outro. Nesse vai e vem, pode ser difícil manter a atenção plena em quem compartilha algo conosco.

Uma fala do outro pode nos lembrar de algum momento específico, as preocupações do dia a dia invadem a nossa mente de forma involuntária, os sons da rua chamam a atenção etc. Há inúmeras fontes de distrações físicas, mentais e emocionais.

Os erros mais comuns quando estamos apenas ouvindo e, não escutando o outro - ou seja, atentos aos sons, não ao conteúdo falado, são:

  • imaginar ou pensar sobre algo (como as tarefas que ainda serão realizadas);
  • pensar no que dirá assim que a pessoa terminar de falar;
  • julgar o que a outra pessoa está falando;
  • escutar com um objetivo em mente.

Esses são sinais de que NÃO estamos escutando o outro. Quando não praticamos a escuta ativa é difícil explorar os sentimentos e pensamentos do nosso interlocutor. Assim não nos engajamos, de verdade, em uma conversa.

Como praticar a escuta ativa?

A escuta ativa é a prática da escuta com atenção plena. Exige que a gente constantemente resgate a nossa atenção e a deposite no outro.

Patrick King, autor do livro Bate-Papo: conversa informal, carisma e como conversar com qualquer pessoa, nos orienta a exercitá-la por meio da adoção das seguintes atitudes:

  1. Focar na outra pessoa

    Em vez de divagar em distrações físicas, mentais e emocionais observar esses estímulos à distância. Perceber quando nos visitam e resistir à tentação de nos engajarmos nelas. A tarefa é estar atento ao outro.Identificar possíveis mudanças no tom de voz, expressões faciais, emoções e sentimentos empregados nas palavras utilizadas.

  2. Ater-se à uma quantidade limitada de temas, fazer perguntas para se aprofundar e zerar gradualmente cada assunto

    Ao invés de saltarmos de temas em temas, o ideal é nos aprofundarmos no que a pessoa está compartilhando. Adotar uma postura investigativa e estimulá-la à imergir cada vez mais na sua história.

    Fazer as perguntas certas pode conduzir "à causa das inseguranças de alguém, de seus problemas de relacionamento, ou de seus dilemas na carreira." Somente após exaurir um tema estamos aptos a seguir para o próximo.

    Durante a conversa baseada na escuta ativa, podemos utilizar as seguintes frases para estimular o compartilhamento e a reflexão do interlocutor:

    • Você parece sentir...
    • Parece-me que...
    • O que estou ouvindo é...
    • Então, você está...
    • Então... (repita as últimas palavras que acabaram de dizer)
    • E isso porque...

  3. Reformular a frase ou simplesmente repetir o que a outra pessoa disse para confirmar a sua percepção e compreensão, e fazê-las se expandir

    Quando repetimos com as nossas palavras o que o outro disse, incentivamos o interlocutor a refletir mentalmente e pensar em voz alta. Estimulamos ele à examinar suas próprias intenções.

    Durante uma conversa baseada na escuta ativa, é possível que a pessoa que compartilha sua história chegue à uma conclusão ou realizações inesperadas. Isso ocorre porque quem escuta de forma ativa age como uma câmara de ressonância para as respostas que já estavam no interlocutor - que, ao ser escutado e estimulado à refletir, consegue acessá-las

  4. Fazer pausas

Por último, e não menos importante, assim que uma pessoa falar algo acene com a cabeça e faça uma pausa de dois segundos para responder. Temos o péssimo hábito de adotar uma postura reativa e responder de imediato, sem realmente interpretar o que foi dito.

"Uma pausa intencional vai dar a impressão de que realmente ouviu o que foi dito, e está levando mais um tempo para absorver a informação e analisá-la".

Está gostando deste artigo?Conte para a nossa equipe! ❤️
Obrigado!😍 Nosso time ficará muito feliz com seu Amável!

A escuta que conecta

Colocar o outro no centro da nossa atenção durante uma conversa pode facilitar com que haja mais compreensão nas nossas relações interpessoais.

E, ao fazê-lo, enviamos um claro sinal de que sim, embora falhos, estamos nos esforçando para acolher o outro plenamente. Para nos conectarmos de forma profunda com ele.

E isso faz toda a diferença.

Beijo :)
Aline
Gostou do artigo? Compartilhe este conhecimento com seus contatos!
Compartilhe no whatsapp
Compartilhe no Linkedin