Acreditamos que pessoas mudam o mundo. Receba nosso melhor conteúdo com exclusividade

Quem são seus Sense8? Não sabe? Vem descobrir!

Respiro

Pode ser que a gente não faça parte de um grupo com oito sensates. Mas com certeza contamos com uma rede de apoio com a qual sempre podemos contar. É importante reconhecer quem faz parte da nossa rede, ser grato e recíproco.

A vida é repleta de desafios. Basta superar um para: shazam!, outro aparecer na próxima esquina.
Nem sempre a gente está preparado para o combate. E aí, como faz? Corre?!
Às vezes essa pode ser a melhor alternativa, especialmente quando não estamos preparados para lidar com o tal desafio. Mas já pensou que talvez a gente não tenha que correr, só precise de ajuda?
É aí que entram os tais Sense8. Sim, estou fazendo uma analogia à série da Netflix. Pois é, também lamento o cancelamento.
Para quem não conhece, o nome da série é um trocadilho com a palavra "sensate", e conta a história de oito pessoas localizadas em diferentes países, que após determinado acontecimento se conectam mental e emocionalmente umas às outras. Elas se tornam "sensates" e passam a fazer parte de um "cluster" - um grupo de "sensates".
Tem mais coisa aí, mas não vou dar spoiler aqui, ok?
Dentre as muitas reflexões que a série provoca, uma das mais explícitas é o fato de que nem sempre a gente vai conseguir se resolver e/ou resolver nossos problemas sozinhos.
E isso fez meus olhinhos brilharem!

Ufa! Não estamos sozinhos

Embora a gente se sinta sozinho na tarefa de existir nesse mundão, não precisa ser e geralmente não é assim.
Em nossa condição humana compartilhamos senão os mesmos, pelo menos anseios e inseguranças similares. É só sentar e se abrir com outro ser humano para descobrir que a gente tem muito mais em comum do que imaginamos.
Só não percebemos isso por sermos essencialmente muito autocentrados. Em bom português, achar que nosso umbigo é o centro do universo.
A maioria das pessoas quer ser amada e  se sentir necessária. Seja em casa, no trabalho ou na mesa de bar com amigos (ou desconhecidos), é urgente o desejo de ser querido e acolhido. E não estamos falando de gente carente, é sobre ser humano mesmo.
Ou seja, em geral as pessoas querem ser ajudadas e ajudar - o que tem a ver com o amada e necessária que mencionei.
O que quer dizer que queremos ter com quem contar.

Meus sensates, como reconhecê-los?

Talvez a gente não perceba, mas todos fazemos parte de um cluster - o nosso grupo de sensates.
Na série, sempre que um dos sensates está em apuros. ou apenas precisando de um ombro amigo, alguém ou o grupo aparece para ajudar.
Não é tão diferente do nosso dia a dia. Quantas vezes precisamos da ajuda de nossos colegas, amigos, familiares e até de desconhecidos?
A ajuda pode ser um ombro amigo para desabafar sobre algum conflito, em uma tarefa no trabalho, na escola ou na faculdade, na mudança de casa, na tomada de uma decisão, na simples pesquisa de um endereço que precisamos quando estamos na rua sem internet, hospedagem gratuita durante uma viagem. A lista é infinita.
É fácil identificarmos nossos sensates, pois são aquelas pessoas com quem podemos contar. Que estão dispostas a nos ajudar e que quando necessário nos complementam com suas habilidades: companheirismo, escuta ativa, abraço acolhedor, escrita, edição de imagens, áudio e vídeo, criação de roteiros de viagens sensacionais, garimpo de móveis usados etc.
Pessoas com as quais compartilhamos nossa vida, regada por lágrimas e sorrisos.

Talvez não sejam oito, e tudo bem

Pode ser que a gente não faça parte de um cluster com oito sensates. Nosso cluster pode ser formado apenas por mais  uma pessoa, e tudo bem.
O importante é reconhecer que é essa pessoa, ser grato e retribuí-la.
E para aumentar nosso "cluster" talvez a gente apenas precise fazer o primeiro movimento: reconhecer que não estamos sozinhos e abrir as portas e janelas do nosso coração para receber e conceder o que a gente e o outro precisa.
Após esse passo o resto flui naturalmente, identificamos quem podemos ajudar e a ajuda que precisamos chega. Shazam! A vida fica mais leve e os desafios menos desafiadores.
E aí, quem são seus "sensates"? Quem faz parte do seu "cluster"?
Compartilhe o post com essas pessoas mais que especiais!
Beijo :)
Aline

Gostou do artigo? Compartilhe este conhecimento com seus contatos!
Compartilhe no whatsapp
Compartilhe no Linkedin